quinta-feira, 23 de maio de 2013

Laranjas de menino


O Mestre Fernando Sabino, que morreu na véspera do Dia das Crianças, disse: “Quando me perguntam o que eu queria ser, digo que queria ser menino.” Temos esse sonho impossível de voltar a ser criança e, quem sabe, tenhamos um coração criança...

Lembro agora uma passagem do meu tempo de menino (eu deveria ter 9 ou 10 anos de idade): perto da minha casa, na mesma rua Cel. Austriclínio, em Palmares-PE, havia um grande supermercado... Certo dia, eu ia passando quase em frente a ele e observei um caminhão carregado de laranjas parado, vi que carregadores/descarregadores de caminhão do local estavam “tirando” aquelas frutas pelas brechas da grade da carroceria. Isso não era correto, no entanto me deu uma vontade de pegar pelo menos uma: ora, se eles podiam, achei que eu também iria conseguir. Desconfiado, aproximei-me da grade da carroceria e comecei a tentar, mas aquele braço mago, de menino amarelo, não tinha força suficiente, desanimei. Quando ia desistindo, apareceu, de súbito, um homem. Não me recordo exatamente das palavras: disse que achava que eu não iria conseguir e resolveu-me ajudar. Danou a mão por entre a grade, pegou três laranjas e me entregou:

            — Obrigado!
            — De nada.

Sorrindo fui atravessar a rua, com um sorriso escancarado, e tomei um susto: aquele homem que tirou as laranjas para mim era o motorista do caminhão.

Fui pra casa pensativo. Por que o homem não me repreendeu? E ainda foi generoso, deu-me três laranjas. Já estava em sua hora de sair...

Hoje, compreendo que, antes de repreender uma criança, o melhor é protegê-la e ter sensibilidade de provar a ela um sentimento pelas boas ações. Quem sabe, provocar nela um sorriso, para uma melhoria do mundo.

Uma maneira de salvar o mundo é dar amor às crianças e facilitar de todas as formas para que elas interajam numa linda e doce brincadeira.
    João Lover

Nenhum comentário:

Postar um comentário