sábado, 11 de fevereiro de 2012

A arma e a força

Poesia: alma, navalha, carne
e tudo o que já arme
uma suprema Luz infinita,
ferina, muito tranquila
feito a guerra e a Paz.


Jorra um sangue voraz
como o desejo do amor;
escorre o riso e a dor
no corpo e no espírito,
vem real, "sensinvisível",


sendo silêncio e grito
da emoção: vida e morte,
fazendo o sonho possível
e o poeta mais forte.
  João Lover

Nenhum comentário:

Postar um comentário