segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Foi no Bonde de Santa Teresa, como podia ser numa boutique em Copacabana

Aconteceu, no último sábado (27), à tarde, com quem estava no Bonde de Santa Teresa (Rio de Janeiro) uma tragédia. Peritos ainda investigam as causas, e 5 vidas se foram, além de muitos feridos.
O Brasil é mesmo um país de contrastes: multiplicidade cultural, má distribuição de renda... Esta frase do título, para quem não sabe, é de uma música de Geraldo Azevedo (Menina do Lido). Que ironia: o Bonde de Santa Teresa é poesia, composição musical de qualidade. A contradição vem do descaso. Estamos em franco desenvolvimento, realizou-se um Panamericano, vão realizar uma copa do mundo de futebol (esta abrange também outros Estados) e uma olímpiada no Rio de Janeiro, e não se consegue fazer a manutenção de um  "bonde" (um  dos símbolos das tradições da Cidade Maravilhosa). Somos, dizem alguns mais arrojados, a quinta economia do mundo, mas falta médicos, medicamentos, equipamentos e hospitais. Aquele que precisa da saúde pública (em muitas localidades do Brasil) está ao Deus dará, e a educação ainda falta muito para atingir a evolução necessária. 
Uma simples manutenção, e tragédias serão evitadas, uma simples instrumentalização em aparelhamento, estrutura e recursos humanos, muitas vidas serão salvas. Simples! "Menina eu te conheço não sei de onde? (...) Será que foi no Bonde de Santa Teresa, como podia ser..." Acontece em vários cantos deste País!
Adoro o futebol e os esportes!... Não se consegue fazer o simples no Brasil, mas se quer mostrar ao mundo a suntuosa capacidade às custas dos cofres públicos, quando ainda não se  permite garantir ao brasileiro os Direitos Sociais normatizados na Constituição Federal.
               João Lover

Nenhum comentário:

Postar um comentário